Onça-parda é flagrada por biólogos de Brasília em área de preservação

O Felino registrado pela equipe do projeto Brasília É o Bicho, é um macho adulto e já conhecido dos biólogos que monitoram a região, por meio de armadilhas fotográficas

Nesta sexta-feira (29), biólogos de Brasília liberaram imagens de onça-parda na Área de Proteção Ambiental do Planalto Central, no limite entre o Distrito Federal e Goiás. O felino, que é chamado de orelha cortada, foi flagrado por câmeras de monitoramento. 

O Felino registrado pela equipe do projeto Brasília É o Bicho, é um macho adulto e já conhecido dos biólogos que monitoram a região, por meio de armadilhas fotográficas. A onça adulta pode alcançar até 1,20 metro e pesar mais de 70 kg.

“Temos acompanhado ele [macho] pensando na preservação da espécie. Caso não apareça, a gente comunica ao ICMBio [Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade]. As informações geradas também são repassadas para gestores da APA do Planalto Central”, explicou o biólogo.

O pesquisador Fábio Hudson Soares, que atua no projeto, explica que a onça-parda pode ser encontrada em áreas de preservação do DF, como o Parque Nacional, e que elas vivem nos poucos espaços verdes que sobraram no local, “As onças ainda conseguem sobreviver nas áreas verdes que restaram”.

Onça-parda 

Pode medir até 150 cm (sem a cauda) e pesar entre 53 e 72 kg, apesar de haver registros de machos com mais de 110 kg. A espécie varia muito ao longo de sua distribuição em peso e tamanho. A coloração da pelagem varia do cinzento-claro até o marrom-avermelhado. É o segundo maior felino das Américas, atrás apenas da onça-pintada.

É um dos mais bem adaptados felinos do novo mundo, podendo ocupar diversos tipos de ambientes ao longo do continente. A onça-parda, graças a sua alta capacidade de adaptação, ocorre em diversos biomas de norte a sul do continente, podendo viver tanto em florestas densas quanto em arredores de áreas urbanas.

Print Friendly, PDF & Email