Marcello Casal/Agência Brasil

Operação Lava Jato com “caixa de segredos”?

Moro desconhece segredos ilícitos da operação 

Durante live realizada na terça-feira (28), o procurador-geral da República, Augusto Aras criticou a Operação Lava Jato afirmando que ela possui “caixa de segredos”, o que leva a uma falta de transparência ao trabalho realizado. No dia seguinte Sérgio Moro que comandou a operação por quatro anos rebateu a crítica do procurador dizendo que, ‘desconhece segredos ilícitos’, destacando que a mesma ‘sempre foi transparente’ e teve decisões confirmadas por tribunais superiores.

A Lava Jato no Paraná, que é coordenada por Delton Dellagnol também se manifestou por meio de nota disse que,  “ilação de que há ‘caixas de segredos’ no trabalho dos procuradores da República é falsa” e evocou a autonomia dos profissionais. “Devem ser refutados os ataques genéricos e infundados às atividades de procuradores da República e as tentativas de interferir no seu trabalho independente, desenvolvido de modo coordenado em diferentes instâncias e instituições”, pontuou. “A independência funcional dos membros do Ministério Público transcende casos individuais e é uma garantia constitucional da sociedade brasileira de que o serviço prestado se guiará pelo interesse público, livre da interferência de interesses diversos por mais influentes que sejam.”

Para Rodrigo Maia houve “excessos” e que “não gosta de ser fiscalizado”. Maia afirmou que há uma “áurea” em torno de si e que “não podem ser atacadas e criticadas”. “A minha principal crítica com relação ao Ministério Público, eu não gosto de tratar de casos específicos, considero que, em muitos casos, você tem excesso, sim. Excesso, inclusive, de temporalidade. Estão fazendo buscas e apreensões de coisas de 2010 em 2020, coisas que geram apenas constrangimentos na linha até, como o doutor Aras falou, de criar uma criminalização exagerada da política”, ressaltou, em entrevista ao Grupo Bandeirantes.

Print Friendly, PDF & Email