Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, terceiro maior aeroporto do Brasil com pouca movimentação de passageiros

Passageiros com máscaras ineficazes não poderão embarcar no Aeroporto de Brasília

Será aplicada multa a partir de R$ 2 mil para quem se recusar a seguir as novas regras

O Aeroporto Internacional de Brasília decidiu proibir o embarque de passageiros que utilizarem itens de proteção considerados ineficazes contra o novo coronavírus. As novas determinações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre o uso de máscara em aviões começaram a valer na quinta-feira (25). A decisão foi aprovada pela diretoria colegiada da agência em 11 de março. De acordo com o diretor da Anvisa Alex Machado, as mudanças no uso das máscaras ocorrem no contexto de mudança no quadro epidemiológico com o “aumento dramático do número de mortos no país”.

Leia também:
Covid-19: mortes caem 14% e casos, 8%, diz Ministério da Saúde

Segundo a agência, a decisão faz parte de um conjunto de ações baseadas em evidências científicas e que acompanham a evolução da pandemia.

“O objetivo é evitar o uso de máscaras sem eficácia e que não protejam adequadamente contra a dispersão de gotículas que propiciem a contaminação.”

A fiscalização será feita pela Anvisa, com auxílio das autoridades do aeroporto e da Polícia Federal. Atualmente, o órgão é responsável pelo controle e inspeção das medidas estipuladas. Será aplicada multa a partir de R$ 2 mil para que se recusar a respeitar a norma. “Contamos com a participação do cidadão e do viajante, utilizando corretamente a máscara”, afirmou o diretor.

Leia também:
DF tem mais de um milhão e meio de vacinados contra a Covid-19

Apesar da medida, permanece autorizado o uso de máscara cirúrgicas, do tipo N95 e PFF2 sem válvula, e os protetores faciais de tecido, mesmo os artesanais, desde que feitos com material como algodão e tricoline, com mais de duas camadas de proteção a ajuste adequado ao rosto.

Crianças e pessoas com deficiência

A obrigatoriedade do uso das máscaras em pessoas que fazem parte desse público, conforme decisão, fica suspensa.

Crianças menores de 3 anos;

Pessoas com transtorno do espectro autista;

Leia também:
Covid-19: DF confirma primeiros casos da variante Delta

Deficiência intelectual;

Deficiências sensoriais ou qualquer outra deficiência que as impeça de fazer o uso adequado de máscara de proteção facial.

De acordo com inframerica, dentro das aeronaves e nos terminais aeroportuários só será permitido retirar a máscara para hidratação ou para alimentar crianças com idade inferior a doze anos, idosos e viajantes que sejam portadores de doenças que exijam dieta especial.  

Print Friendly, PDF & Email