PCDF identifica grupo que aplica golpe em juízes, desembargadores e políticos no DF

Um homem de 28 anos foi preso após se passar pelo governador Ibaneis Rocha e aplicar golpe de R$ 3,7 mil

Na segunda-feira (4), a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu o homem que se passava pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) para aplicar golpes. O homem, que é vigilante de escolta armada e tem 28 anos, conseguiu receber cerca de R$ 3,7 mil reais de uma vítima. A ex-esposa de Ibaneis, Luzineide Carvalho, foi a vítima que transferiu esse dinheiro e achava que estava conversando com o governador do GDF. Esse suspeito faz parte de um esquema sofisticado que mira autoridades como juízes, desembargadores e políticos que moram na capital da República.

O objetivo do esquema é convencer os integrantes dos poderes Judiciário, Legislativo e Executivo a transferirem dinheiro para contas bancárias administradas pelos golpistas. Os grupos têm acesso a dados, inclusive os de juízes que presidem associações de classe. Os bandidos têm acesso a litas cadastrais com milhares de informações.

Segundo o delegado-chefe da DRCC, Giancarlos Zuliani, com os dados e número de celulares de juízes presidentes de associações, os bandidos entram em contato com outros magistrados. “Eles inventam qualquer história, como a coleta de doações para financiar campanhas em prol de algum projeto de lei que esteja em andamento, por exemplo”.

Golpe

Na segunda-feira (4), a Polícia Civil do DF prendeu o homem que se passava pelo governador do DF Ibaneis Rocha para aplicar golpes via Whatsapp. O criminoso foi preso, em flagrante, em Goiânia/GO, por equipe de policiais civis da Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos (DRCC/PCDF), que investiga o caso.

Os policiais civis goianos procuram mais dois suspeitos na cidade. Os investigadores apreenderam cartões com dados de vítimas. O outro suspeito ainda não foi localizado e o terceiro tem várias passagens pela polícia.

Segundo o delegado-geral da PCDF, Robson Cândido, a ação rápida da DRCC viabilizou a prisão em flagrante. “As equipes conseguiram localizar o principal suspeito. Os outros dois já foram identificados e deverão ser presos em seguida. A resposta rápida da PCDF é fundamental para coibir esse tipo de crime”, afirmou.

Print Friendly, PDF & Email