PCDF prende grupo suspeito de sonegar impostos e causar prejuízo de R$ 60 mi aos cofres do GDF

De acordo com a investigação, o grupo é responsável por um esquema “sofisticado” de fraude fiscal

Na manhã desta terça-feira (6), a Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Ordem Tributária (Dot) deflagrou uma megaoperação contra uma organização criminosa especializada em fraudar o repasse de impostos. O prejuízo aos cofres públicos chega a R$ 60 mi.

Ao todo, os agentes começaram a cumprir 10 mandados de prisão temporário e 122 de busca e apreensão no DF.

A suspeita é de que atuam como uma “indústria” de criação de empresas fantasmas para atuar na diminuição do recolhimento de tributos.

A ação foi em conjunto com a Subsecretaria da Receita da Secretaria de Economia do DF e teve apoio da Promotorias de Justiça de Defesa da Ordem Tributária (Pdor) do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT). O inquérito, instaurado no ano passado, analisou fatos ocorridos entre 2019 e 2021.

De acordo com os policiais, eles movimentaram R$ 500 mi em notas fiscais frias, para aproximadamente 330 empresas destinatárias que se beneficiaram dos créditos de Impostos sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Os mandados são cumpridos em escritórios de contabilidade, empresários beneficiados pelo esquema, residência de contadores, funcionários e empresários. Além disso, entre os alvos, estão empresas de certificação digital.

Print Friendly, PDF & Email