Pfizer: vacina começa a ser distribuída no Brasil

A imunização será em duas doses com intervalo de 21 dias

Na noite de quinta-feira (29), chegou ao centro de distribuição do Ministério da Saúde em Guarulhos, na Grande São Paulo, o primeiro lote com 1 mi de doses da vacina da Pfizer/BioNTech. O contrato da farmacêutica com o governo federal é de 100 mi de doses.

A distribuição deverá ocorrer na manhã desta sexta-feira (30) para as 27 capitais do país. O Ministério da Saúde diz que ela vai ocorrer de forma “proporcional e igualitária”, mas não informou quantas doses serão destinadas para casa município.

Leia também:
Anvisa autoriza análise da eficácia de dose de reforço da AstraZeneca

Com relação a quantidade de doses, o secretário municipal de São Paulo, Edson Aparecido, informou que a prefeitura pediu uma quantidade maior de doses porque instalou geladeiras mais potentes nos centros de distribuição, já o imunizante precisa ser armazenado em câmaras frias com temperaturas entre -25°C e -15°C por, no máximo, 14 dias.

“Todos os nossos profissionais estão treinados pra isso, então, nós imaginávamos que a cidade de São Paulo, por essas condições, poderia receber uma quantidade maior. Nós podemos armazenar 4 milhões de doses da Pfizer aqui na cidade”, disse Aparecido.

Recusa

Leia também:
Ibaneis pretende vacinar adolescentes contra a Covid-19

Esse imunizante foi alvo de recusa e polêmicas dentro do governo federal. Em 2020, três ofertas para a venda de 70 mi de doses foram feitas pela empresa e ficaram sem resposta do Ministério da Saúde.

Em dezembro, o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Medeiros, descartou a compra da vacina por causa da exigência de armazenamento em baixas temperaturas.

O imunizante foi a primeiro a receber registro sanitário definitivo pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em fevereiro deste ano.

Leia também:
Adolescentes de 12 a 17 com comorbidades poderão ser vacinados contra a Covid-19 a partir de quinta-feira

A remessa faz parte do acordo firmado entre o Ministério da Saúde e a farmacêutica em 19 de março. A previsão é que as 100 mi de doses de vacinas sejam recebidas até o final do terceiro trimestre de 2021.

Print Friendly, PDF & Email