PGR apura mensagens de Zambelli para Moro

Bancada do PT enviou notícia-crime ao STF

Augusto Aras, procurador-geral da União determinou a abertura de apuração para verificar indícios de crime nas mensagens da deputada Carla Zambelli (PSL-SP) e o ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro. 

Deputados do PT enviaram ao Supremo Tribunal Federal uma notícia-crime o que motivou a PGR determinar investigação. Os parlamentares acusam Zambelli de ter cometido advocacia administrativa e tráfico de influência. 

A bancada do PT na Câmara diz que Zambelli usou de comunicação privada para questionar como estariam as investigações da PF sobre o presidente da Câmara dos Deputados.

“De modo geral, a deputada Carla Zambelli demonstrou o seu completo desapego para com a coisa pública, com a democracia e com o Estado Democrático de Direito, tratando as cúpulas do Poder Executivo Federal e o Congresso Nacional como espaço para alcançar seus interesses, que em nada representam o interesse público, tal como influenciar na autonomia da Polícia Federal ou buscar inferir em investigações sobre o presidente da Câmara dos Deputados”, escreveram.

As mensagens entre a deputada e Moro foram inclusas no inquérito que apura interferência do presidente Bolsonaro na Polícia Federal, o que o chefe do Executivo nega. Quando as mensagens foram a público Carla Zambelli disse que não tem “o poder ou a função delegada pelo PR para negociar cargos no STF”. A deputada também disse que fez a sugestão porque ela e “milhões de brasileiros” se posicionaram a favor da indicação de Moro para o tribunal.

Print Friendly, PDF & Email