Caminhos da Reportagem "Povos indígenas na pandemia

Plano Geral de Enfrentamento à Covid-19 para Povos Indígenas ainda é debate entre STF e o governo

Entidades que representam os povos indígenas acusam o governo de negligência, até o momento foram 889 mortes nas comunidades

Davi Kopenawa Yanomami publicou originalmente no livro Povos Indígenas no Brasil, que todas as enfermidades enfrentadas pelo povo indígena é culpa dos brancos: “Toda essa destruição não é nossa marca, é a pegada dos brancos, o rastro de vocês na terra”, essa frase resume o cenário em que os indígenas estão vivendo nos dias atuais. O vírus, segundo a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), foi levado por um médico de São Paulo ao povo Kokama.

O primeiro caso de infecção por coronavírus aconteceu na comunidade Kokama, uma jovem da tribo foi infectada por um médico a serviço da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), no dia 25 de março deste ano. Até o momento a tribo Kokama é a mais afetada pelo vírus totalizando 68 mortes. A Apib afirmou que até o momento 899 membros de 161 etnias morreram de Covid-19 no país.

A falta de proteção aos povos indígenas tem sido pauta no Supremo Tribunal Federal (STF), e nesta semana, o ministro Luís Roberto Barroso negou pela quarta vez a homologação do Plano Geral de Enfrentamento à Covid-19 para Povos Indígenas.

O magistrado afirmou que o plano é “genérico”, “Impressiona que, após quase 10 meses de pandemia, não tenha a União logrado o mínimo: oferecer um plano com seus elementos essenciais, situação que segue expondo a risco a vida e a saúde dos povos indígenas”, escreveu o ministro em decisão de 21 de dezembro.

Negligência do governo

A situação em que os indígenas se encontram atualmente tem repercutido no exterior, o Tribunal Penal Internacional está analisando uma possível negligência por parte do presidente Jair Bolsonaro às comunidades indígenas.

A denúncia é representada pela Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), a entidade acusou o presidente de crime contra a humanidade.

Em contrapartida o governo garante que supre as necessidades dos povos indígenas. No site da Sesai, são publicadas matérias sobre missões a Territórios Indígenas e distribuição de alimentos e material de higiene, além de testagem para a Covid-19.

As entidades que representam o povo indígena afirmam que as medidas tomadas são erráticas e não cumprem a missão, já que o vírus atingiu mais da metade das 305 etnias que o Brasil abriga. Entre o governo e as entidades até o número de casos e mortes estão errados, para a Sesai, não morreram 899 indígenas, e sim 505 , até o dia 24 de dezembro. O governo não conta casos de indígenas que são testados fora das aldeias.

Print Friendly, PDF & Email