Pontos de aglomerações são mapeados no DF

Pontos de aglomerações são mapeados no DF

Ao longo de 30 dias, a população formou 163 multidões diariamente.

Mesmo com o número crescente de infectados e mortes causadas pelo novo coronavírus no Distrito Federal a população ignora as recomendações das organizações de saúde, dentre elas o distanciamento social. A Casa Civil fez um levantamento onde apontou o número de aglomerações na capital, sendo de 38,6%, entre 6 de junho e 6 de julho. Ou seja, em média, ao longo de 30 dias, a população formou 163 multidões diariamente.

O governo vem permitindo de forma gradativa a abertura de atividades no DF. No próximo dia 15 de julho será a vez de bares e restaurantes reabrirem e em seguida o retorno das aulas presenciais.

A flexibilização vem gerando debates e o Executivo local reforça a importância de manter o distanciamento de 1,5 metro entre pessoas e lembra que o uso obrigatório de máscaras ainda está valendo.

Segundo o subsecretário de Inovação da Casa Civil do DF, Paulo Medeiro, as aglomerações são, atualmente, o principal foco de contágio do novo coronavírus.

“Na média, o brasiliense é bem consciente, mas alguns grupos ainda insistem em promover aglomerações”, pontuou. Nesse sentido, o governo colocou em marcha ações de conscientização e fiscalização do DF Legal e do Instituto de Defesa do Consumidor (Procon).