PONTA GROSSA - PRISAO EVOLUCAO - 23/03/2012 - PARANA A comissao de direitos da OAB Parana visitou durante a manha e inicio da tarde o presidio Hildebrando de Souza em Ponta Grossa. Durante a visita foram verificadas as instalacoes e as condicoes em que os presos estao encarcerados. Na foto, presos enfrentam superlotacao. Alem disso, faltam medicos para atende-los Somente este ano foram registrados sete casos de tuberculose.

População carcerária foi retirada da lista de prioridade para vacina contra covid-19

Pessoas privadas de liberdade seriam vacinadas na quarta fase de distribuição da vacina

Nesta quarta-feira (9) foi divulgado pelo Ministério da Saúde que presidiários foram retirados da lista de prioridades da vacinação contra a covid-19. A informação foi publicada pelo O Globo e confirmada pelo Estadão. O Ministério havia afirmado no dia primeiro de dezembro que a população carcerária entraria na versão preliminar do Plano Nacional de Imunização (PNI).

Pessoas privadas de liberdade seriam vacinadas na quarta fase de distribuição da vacina, porém o Ministério da Saúde voltou atrás na decisão.

O ministério justificou que o PNI é preliminar e modificações podem ser feitas, no dia primeiro de dezembro o ministério enviou ao Poder360, quem entraria na lista de prioridades para receber a imunização.

“Na primeira fase, trabalhadores da saúde, população idosa a partir dos 75 anos de idade, pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência (como asilos e instituições psiquiátricas) e população indígena. Em um segundo momento, pessoas de 60 a 74 anos. A terceira fase prevê a imunização de pessoas com comorbidades que apresentam maior chance para agravamento da doença (como portadores de doenças renais crônicas e cardiovasculares). A quarta e última deve abranger professores, forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade.” informou o documento.

Após esse comunicado, o documento foi atualizado e a população carcerária foi retirada. Uma nota foi enviada ao Poder360 pelo Ministério da Saúde.

Nota na íntegra

“A definição de grupos de risco (e posteriormente de grupos prioritários para serem vacinados) depende dos estudos epidemiológicos e dos resultados da fase III de cada vacina, que definirão a bula do imunológico. É importante ressaltar que os grupos prioritários ainda estão sendo definidos pelo Ministério da Saúde. O Plano de Nacional de Imunização ainda é preliminar, e o planejamento dos grupos a serem vacinados e fases podem sofrer alterações. Além disso, o Brasil e o mundo ainda carecem de mais estudos quanto à taxa de transmissibilidade e de letalidade para que se justifique a priorização do grupo daqueles privados de liberdade. Além disso, a inclusão de outros grupos prioritários ocorrerá à medida em que mais doses e vacinas sejam disponibilizadas – após licenciamento pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e dos acordos de aquisição de vacinas.”

Covid nas prisões

Segundo o último boletim do Conselho Nacional de Justiça, publicado no dia 25 de novembro, o número de casos de corona vírus no sistema carcerário dobrou nos últimos três meses. Já foram registrados 38.387 casos de Covid-19 entre pessoas presas e 11.992 entre servidores desses estabelecimentos, com 213 óbitos no total.

Print Friendly, PDF & Email