Pouco movimento em bares e restaurantes não desanima comerciantes

Após 4 meses atividades retornam com o “novo normal”

Bares e restaurantes foram autorizados a funcionar na quarta-feira (15), o que deixa comerciantes otimistas. No primeiro dia de funcionamento após 4 meses fechados bares e restaurantes registram um número baixo de clientes.

Um dos mais tradicionais restaurantes de Brasília Fausto & Manoel reabriu e o gerente de uma das redes, Afrânio Cordeiro está com boas expectativas.  “A gente está fazendo de tudo para não fechar mais e que dê tudo certo daqui para a frente”, ressalta. “Estamos seguindo todas as medidas possíveis. Deixando à distância de dois metros de uma mesa para a outra, a toda hora, os funcionários estão passando álcool. Nosso cardápio é de QR code, tem talheres embalados, todos usam máscaras”, detalha. “Muita gente ligou, mas não estamos reservando.

Leia também:
Covid-19: DF confirma primeiros casos da variante Delta

Para o presidente a reabertura dessas atividade significa o aumento na taxa de contaminados. “No momento em que a gente tem o número de casos e de óbitos em crescimento no Distrito Federal, parece-me um tanto quanto precipitado a reabertura de bares e restaurantes. Com a retomada do comércio, podemos esperar um significativo aumento no número de casos, pois haverá maior circulação do vírus. Mesmo com essa reabertura, as pessoas devem tentar manter o distanciamento social e evitar, ao máximo, os aglomerados. E, quando estiverem nesses locais, as medidas de higiene devem ser mantidas. Mas é difícil ficar de máscara em um ambiente desses, até porque as pessoas vão exatamente para fazer refeições ou beber, mas a higiene das mãos e o distanciamento entre as mesas são de extrema importância.  Tentem evitar ao máximo frequentar esses lugares, evitem, principalmente, se esses ambientes estiverem muito cheios. Tudo o que está acontecendo é muito dinâmico e novo. Exatamente por isso é preocupante uma flexibilização no meio de um crescimento de casos e com número de ocupação de leitos tão altos”, afirmou.

Print Friendly, PDF & Email