Publicada nova lei que proíbe incineração de resíduos sólidos no DF para beneficiar os catadores

O texto é de inciativa dos depurados Leandro Grass (Rede) e Arlete Sampaio (PT) e busca favorecer os catadores de lixo e evitar a poluição ambiental

Uma nova lei publicada no Diário Oficial do DF de terça-feira (30) determina a substituição da incineração de lixo por tecnologia que não coloque em risco “a saúde humana e o meio ambiente” e garanta “o acesso dos catadores a materiais recicláveis em quantidade adequada para geração de renda que atenda a suas necessidades básicas”. O texto é dos deputados Leandro Grass (Rede) e Arlete Sampaio (PT). Por meio de reivindicações de catadores de materiais recicláveis surgiu a ideia da lei, que visa garantia de maior reaproveitamento dos materiais e estimular técnicas de processamento mais sustentáveis.

A deputada Arlete Sampaio defende o uso de tecnologia social e ambiental adequado no processamento do lixo. “Nosso projeto teve o mérito de, em primeiro lugar, impedir que haja uma incineração daquilo que pode ser reaproveitado e, em segundo lugar, a preocupação de que a gente possa contribuir para que cada vez mais a população tenha consciência da necessidade de se fazer uma coleta seletiva de maneira adequada”.

Leandro Grass, afirma que a lei representa grande avanço para a sustentabilidade no DF. “A proibição da incineração dos resíduos vai evitar que esse processo cause prejuízos ao meio ambiente e, consequentemente, a nós. Nossa ideia é fazer com que a prioridade seja sempre a reciclagem, que, além de ser o melhor para o ambiente, ainda pode gerar renda para os catadores e cooperativas, que tiram desse trabalho o sustento de suas famílias”, explicou o deputado.

Print Friendly, PDF & Email
Leia também:
Semana do Cerrado terá atividades educativas em trilhas