Rodrigo Pacheco é eleito novo presidente do Senado com 51 votos

Na votação, que aconteceu de forma presencial e secreta, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) garantiu sua vitória e vai comandar a Casa pelos próximos dois anos

Na segunda-feira (1) Rodrigo Pacheco (DEM-MG) foi eleito presidente do Senado, e comandará o Congresso Nacional pelos próximos dois anos, até fevereiro de 2023. A votação aconteceu de forma presencial e secreta, com os votos de 78 senadores, Pacheco teve 51 votos e Simone Tebet (MDB-MS), 21. OS dois foram os únicos a disputar a liderança da Casa.

Rodrigo Pacheco contou com o apoio do ex-presidente do Senado Davi Alcolumbre (DEM-MG), e do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Recebeu também o apoio formal de dez partidos: DEM, PT, PP, PL, PSD, PSC, PDT, Pros, Rede e Republicanos. Além disso, foi apoiado por parte do MDB, partido da senadora Simone Tebet.

O novo presidente disse em seu pronunciamento que vai correr em busca da independência do Senado, mas disse que trabalhará em prol da governabilidade, para que reformas e projetos de interesse da sociedade sejam aprovados. E ainda buscar medidas de assistência para famílias vitimas da covid-19.

“Vamos atuar com vistas no trinômio saúde pública, desenvolvimento social e crescimento econômico, com o objetivo de preservar vidas humanas, socorrer os mais vulneráveis e gerar emprego e renda aos brasileiros. Urge livrar o Brasil dessa avassaladora e trágica pandemia, que já vitimou mais de 225 mil irmãos brasileiros”, disse Rodrigo Pacheco.

Para o ex-presidente Davi Alcolumbre, a vitória de Pacheco é também a sua. Alcolumbre atuou como principal cabo eleitoral de Pacheco desde dezembro do ano passado. Ao lado do colega de partido, Alcolumbre conseguiu reunir apoio suficiente para eleger o sucessor em uma única votação, sem necessidade de segundo turno.

Ao cumprimentar o novo chefe da Casa, Alcolumbre auxiliou que Pacheco conduza o Senado com responsabilidade. “Eu quero neste momento congratular-me com o senador Rodrigo Pacheco pela sua eleição à presidência do Senado da República, desejando-lhe todo o sucesso, todo o êxito, e lembrando a Vossa Excelência que, agora, não existem mais três, quatro, cinco candidaturas. Existe o Senado da República e caberá ao senador Rodrigo Pacheco conduzir esta Casa com equilíbrio, altivez e independência em favor do Brasil”, disse.

Carreira

Rodrigo Pacheco tem 44 anos e nasceu em Porto Velho (RO), mas se mudou na infância para Minas Gerais, onde se formou em Direito pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-MG). Atuou como advogado criminalista antes de entrar na carreira política.

Em 2014, foi eleito deputado federal pelo MDB. Na Câmara, votou pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff; presidiu a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e esteve à frente do colegiado durante a análise de denúncias contra o ex-presidente Michel Temer.

Foi deputado até 2018, tendo sido presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Casa. Em 2018 que se candidatou para senador pelo DEM e foi eleito com 3.616.864 votos.

Print Friendly, PDF & Email