“Se necessário for, militares agirão dentro da Constituição”, afirma Bolsonaro

O presidente ainda afirmou que ninguém pode acusá-lo de “ser uma pessoa que não seja democrática”

Nesta quinta-feira (27), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que “se necessário for”, o Exército agirá “dentro das quatro linhas da Constituição”. A declaração foi feita durante almoço com militares, em São Gabriel da Cacheira (AM).

Bolsonaro tem repedido a fala em contrariedade às medidas decretadas por governadores e prefeitos no enfrentamento da pandemia de Covid-19. O chefe do Executivo afirmou que espera que o Brasil “parta para a normalidade”.

“Mais do que obrigação e dever, tenho certeza que vocês agirão dentro das quatro linhas da Constituição, se necessário for. Espero que não seja necessário – que a gente parta para a normalidade. Não estamos nela ainda, estamos longe dela”, disse Bolsonaro.

Eleições 2022

Leia também:
Sergio Moro se filia ao Podemos

Bolsonaro falou da expectativa de escolha em 2022.  “Quem fizer uma análise do que aconteceu no Brasil nos últimos 20 anos, eu duvido que essa pessoa erre no ano que vem”.

Ele afirmou que ninguém pode acusá-lo de “ser uma pessoa que não seja democrática” e saiu em defesa de seu governo.

“Um governo que tem dois e quatro meses sem nenhuma comprovação ou ato de corrupção. Isso não é virtude, é obrigação. Mas para quem se recorda de há poucos anos, não era isso que acontecia no Brasil”, declarou.

Print Friendly, PDF & Email