Secretária da Sedes explica como ajudar moradores de rua do DF

Em entrevista, a secretária Mayara Noronha Rocha ressalta que a melhor forma de ajudar pessoas em situação de rua é encaminhá-las a centros socioassistenciais

Na quarta-feira (3), a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha, concedeu uma entrevista ao programa Gente Cidade, da Bandnews FM, em que explica qual é a forma mais correta de ajudar pessoas que estão em situação de rua no DF.

De acordo com a gestora, muitas pessoas fazem doações diretamente aos moradores de rua, mas para ela esse não é o melhor jeito de agir. O correto seria fazer as doações para instituições especializadas na entrega das contribuições, ou durante campanhas governamentais. No site da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) é possível encontrar diversas entidades parceiras do GDF que realizam esse trabalho.

Mayara pede que a população auxilie a pessoa necessitada a buscar os meios socioassistenciais, assim cumprindo com seu dever de cidadão. “A doação é a maneira mais rápida e fácil de ficar com a consequência tranquila, mas deixa o dever como cidadão em segundo plano”, disse Mayara Noronha.

A secretária destacou que os dois Centros de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Pop), localizados no Plano Piloto e Taguatinga, ampliaram o horário de funcionamento. As unidades passam a atender de domingo a segunda-feira, das 7h às 18h, inclusive em feriados e pontos facultativos.

Dessa forma, Mayara ressalta que o mais importante é levar essas informações para que os moradores de rua, para que assim eles possam buscar ajuda especializada. “O mais importante é que a sociedade leve essa e outras informações a esse público”, pontua Mayara.

Meios socioassistenciais

Leia também:
Governo começa a pagar o benefício DF Sem Miséria

Os centros POP oferecem refeições e lanches ao longo do dia. Além disso, nesses lugares, a equipe de especialistas analisa cada caso com o objetivo da ampla inserção desses cidadãos na política socioassistencial.

Outra informação que precisa ser repassada para os moradores de rua é que 14 restaurantes comunitários do DF, fornecem alimentação saudável, de qualidade e gratuita para quem não tem onde morar. Por questões de segurança e higiene, esses equipamentos estão restritos à venda de marmitas, das 11h às 14h, não sendo permitida a permanência nos refeitórios.

Leia também:
A luta continua no Setor Comercial Sul

Na Ceilândia é oferecido também o Alojamento Provisório, que prorrogou contrato e segue em funcionamento para mais três meses. Os encaminhamentos podem ser feitos pelo telefone. No DF cerca de 2,2 mil pessoas estão em situação de rua. 

Atendimento

Os atendimentos dos serviços das 27 unidades do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) continuam disponível, sendo realizados sem filas graças ao modelo de agendamento on-line que permite marcar as visitas com segurança para servidores e usuários.

Leia também:
PMDF, ONGs e Órgãos do GDF se unem para ação no SCS

Tudo é feito com hora marcada, e cada assistente social recebe um beneficiário de cada vez, em uma sala equipada com proteção de acrílico entre o atendente e o usuário. O cidadão precisa ligar para ao telefone 156 ou acessar o site da Sedes e solicitar o agendamento, caso o cidadão não tenha acesso a nenhum dos meios de solicitação, uma pessoa intermediária pode oferecer ajuda e marcar o atendimento.

Outras unidades de assistência, como as 11 do Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas) e as demais 43 voltadas ao acolhimento institucional, seguem normalmente, com encaminhamento prévio feito pelo Cras.

Leia também:
Governo começa a pagar o benefício DF Sem Miséria

*Com informações da Sedes

Print Friendly, PDF & Email