Secretaria de Justiçal firma acordo com STF para oferecer estágio para socioeducandos

Acordo celebrado com o Supremo Tribunal Federal reserva 20 vagas para socioeducandos que cursam o ensino médio e favorece a sua ressocialização

Jovens que cumprem medidas socioeducativas e que estejam cursando o ensino médio poderão receber bolsas de estágio, de acordo com o termo de cooperação entre a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) e o Supremo Tribunal Federal (STF). A publicação foi realizada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta quinta-feira (6).

O termo não envolve a transferência de recursos e terá vigência de 60 meses. A Secretaria de justiça e Cidadania vai ser responsável pela execução do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase) no DF e vai trabalhar na seleção de perfis.

Leia também:
Gilmar Mendes critica voto impresso, “lenda urbana”

O termo prevê a reserva de 20 vagas de estágios nos editais publicados pelo STF.

“Vamos seguir avançando nesse importante trabalho de ressocialização e dar a esses jovens uma nova oportunidade. A publicação deste acordo de cooperação técnica com o STF demonstra que a Secretaria de Justiça busca cotidianamente ampliar as oportunidades de inserção formal dos adolescentes no mercado de trabalho, promovendo vivências significativas que permitam o despertar dos socioeducandos para a mudança de trajetória e alimentando novos sonhos e perspectivas profissionais”, disse a secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani.

Para o subsecretário do Sistema Socioeducativo, Demontiê Alves, a iniciativa representa uma importante medida, que visa a vivência desses adolescentes em um espaço onde cotidianamente são proferidas decisões que repercutem no país inteiro. “A Sejus dará a esses jovens a oportunidade de estagiarem no órgão que encabeça o Poder Judiciário, e essa experiência será crucial para uma ressocialização responsável, com agregação de valores e experiências”, destacou.

Print Friendly, PDF & Email