Segunda onda de covid-19 é menos mortal que a primeira

Diminuição da letalidade por covid-19 pode estar atribuída ao contágio entre pessoas mais jovens

Segundo informações do Ministério da Saúde, analisadas pelo (M)Dados, núcleo de jornalismo de dados do Metrópoles, a segunda onda de covid-19 no Brasil tem mostrado ser menos letal que a primeira onda. O número de infectados registrados na última semana foi a quinta maior desde o início da pandemia.

Mesmo que o número de casos tenha tido um aumento, em comparação com a primeira onda, as mortes computadas na última semana foram de 4.067, menor que a 22° semana mais letal desde o início da pandemia. A taxa de letalidade computada no começo da pandemia era de 2,7% em média, de 100 pessoas que contraíram a doença 2 morriam, no atual momento a taxa é de 1,4%.

Leia também:
Covid-19: mortes caem 14% e casos, 8%, diz Ministério da Saúde

Segundo o médico infectologista e consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) Leonardo Weissmann, não é porque a taxa de letalidade diminuiu que cuidados não devem ser tomados, pessoas continuam morrendo em decorrência da doença.

“manter o distanciamento social, evitar aglomerações e usar a máscara corretamente, além de higienizar as mãos” ressaltando ainda que não temos uma previsão de quando vacinas estarão disponíveis, “A gente não sabe quando as vacinas estarão disponíveis”. reconhece o infectologista.

O infectologista explica que a taxa caiu, pois quem mais contraiu o vírus nos últimos tempos são jovens, “Muitos dos pacientes infectados agora são jovens e, pelo que a gente vem observando em relação a fator de risco, esse grupo etário têm menos chances de evoluir para formas graves da doença, desde que não exista nenhuma comorbidade”, apontou.

Print Friendly, PDF & Email