O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, deixa o Palácio da Alvorada, em meio ao surto da doença por coronavírus (COVID-19), em Brasília, Brasil, em 20 de abril de 2020. REUTERS / Ueslei Marcelino

Sobre medidas para combater a Covid-19, Bolsonaro diz, “Chega de frescura, mimimi”

Enquanto cumpria agenda no interior de Goiás, Bolsonaro criticou medidas adotadas por prefeitos para combater a disseminação do coronavírus

Nesta quinta-feira (4), em cerimônia de inauguração de trecho da Ferrovia Norte-Sul, que liga São Simão (GO) e Estrela D’Oeste (SP), o presidente Jair Bolsonaro voltou à criticar as recomendações de fechamento do comércio nos estados como forma de conter a disseminação de Covid-19. Em meio ao pior momento da pandemia, Bolsonaro disse, “Chega de frescura, mimimi”.

Na ocasião o mandatário da República elogiou os trabalhadores rurais, “Vocês [produtores rurais] não ficaram em casa, não se acovardaram. E nós temos que enfrentar os nossos problemas. Chega de frescura, mimimi. Vão ficar chorando até quando? Temos que enfrentar os problemas. Respeitar, obviamente, os mais idosos, e aqueles que têm doenças, comorbidades. Mas onde vai parar o Brasil se nós pararmos?”, disse Bolsonaro.

Na quarta-feira (3), boletim divulgado pela Secretaria de Saúde registrou 1.910 mortes em 24 horas e 71.704 novas infecções de coronavírus. A última semana foi considerada a pior desde o começo da pandemia no Brasil, ao todo 259.402 pessoas morreram em decorrência da covid-19, e 10.722.221 de brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus.

O presidente afirmou que lamenta todas as mortes, e disse que uma ex-professora morreu ontem (3) com 101 anos de idade e que ele gostaria de vê-la, mas não será mais possível. “Eu esperava vê-la, porque marcou a minha vida. E seus familiares se emocionaram quando eu conversei com eles por telefone, mas essa é a nossa vida”, completou.

Bolsonaro que sempre foi contra qualquer medida restritiva, inclusive não usa máscara em nenhuma de suas aparições públicas, acusou o STF de ter lhe retirado o poder de tomar decisões sobre a política de combate ao coronavírus.

Leia também:
Segundo Datafolha, maioria vê pandemia controlada no país

Na verdade, a decisão da corte estabeleceu que Estados e municípios podem decidir sobre fechamento de comércio e escolas.

“Como eu gostaria de ter o poder, que deveria ser meu, para definir essa política. Para isso que muitos de vocês votaram em mim”, disse o presidente. “Eu fui eleito para comandar o Brasil. Espero que esse poder me seja restabelecido”. Disse Bolsonaro.

Cesta básica

Sobre a inflação da cesta básica, que foi de 3,64% no mês de dezembro. Em comparação a janeiro de 2020, o aumento é de 28,6%, ou seja, em um ano, o preço da cesta básica saltou de R$ 340,61 para R$ 438,16.

Bolsonaro disse: “Todos vamos sofrer, se não tomarmos as medidas certas. Nós somos um país que, sim, tem um futuro. O homem do campo, repito, não parou. Tivemos inflação da cesta básica, tivemos, sim. Como vou negar isso daí? Não vou negar, mas, se vocês tivessem parado, pior do que a inflação, seria o desabastecimento.”

Print Friendly, PDF & Email