“Termo de consentimento” deve ser assinado por quem tomar a vacina contra covid-19

Medida provisória de Bolsonaro exigirá que cada pessoa imunizada contra a covid-19 assine um “termo de consentimento”

O deputado Geninho Zuliani (DEM-SP), em reunião com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), nesta terça-feira (15), disse que o relatório da Medida Provisória (MP) nº 1.003/2020, que autoriza que o governo federal aprove uma vacinação global, propõe que “termo de consentimento” seja assinado por pessoas que querem tomar a vacina contra a covid-19.

Após a reunião, o deputado afirma que a imunização será voluntária e quem se disponibilizar a ser vacinado deve estar ciente das reações adversas da vacina, “Eventualmente pode ter algumas reações e não dá para a União assumir esse passivo, ao longo das próximas décadas, de tudo aquilo que uma vacina pode trazer de efeito colateral”, ressaltou.

Medida provisória

Em conversa com apoiadores na porta do Palácio do Planalto, nesta segunda-feira (14), Bolsonaro disse que MP será assinada estabelecendo a necessidade de assinar um termo de responsabilidade para as pessoas que quiserem tomar a vacina: “Eu devo assinar amanhã uma medida provisória de R$ 20 bilhões para comprar vacina”.

Bolsonaro ressaltou que a responsabilidade é de quem quer tomara vacina, e informa que a Pfizer não se responsabiliza em caso de efeitos colaterais.

“Não é obrigatória [a vacina]. Vocês vão ter que assinar termo de responsabilidade para tomar. Porque a Pfizer, por exemplo, é bem clara no contrato: ‘Nós não nos responsabilizamos por efeitos colaterais’”, pontuou o presidente.

“Tem gente que quer tomar, então toma, a responsabilidade é tua. Se der algum problema aí… espero que não dê”, destacou Bolsonaro.

Print Friendly, PDF & Email