Vacinação contra a covid-19 é ampliada para todos os servidores da saúde, no DF

O chefe da pasta, Osnei Okumoto, afirmou que todos os profissionais da área da saúde que estão na ativa, sem distinção de categorias, serão vacinados nesta primeira etapa

Estratégia definida em reunião do Comitê de Vacinação Covid-19 da Secretaria de Saúde, na segunda-feira (25), amplia a vacinação contra covid-19 para todos os profissionais da área da Saúde que estão na ativa, sem distinção de categorias. Os servidores começam a ser vacinados nesta terça-feira (26). Profissionais da rede pública receberão as doses nas unidades onde atuam. E os empregados dos hospitais particulares continuarão sendo imunizados em seus locais de trabalho.

O secretário de Saúde, Osnei Okumoto, disse que com essa remessa todos os profissionais de saúde serão imunizados, “Hoje, segunda-feira, o Comitê de Vacinação Covid-19 da Secretaria de Saúde emitiu uma circular definindo que todos os servidores da saúde pública do Distrito Federal, sem distinção de categoria, receberão a vacinação contra Covid-19, bem como todos os servidores dos hospitais da rede privada”. afirma.

Osnei Okumoto falou que com a chegada de mais doses serão contemplados idosos com mais de 80 anos. O Distrito Federal recebeu, na segunda-feira (25), mais 19 mil doses da vacina CoronaVac produzida em parceria entre o Instituto Butantan e a farmacêutica chinesa Sinovac. E no domingo (24), chegou ao DF às 41,5 mil doses da vacina Oxford/AstraZeneca, produzida na Índia.

“A partir do recebimento dessas novas doses conseguiremos atender a todos os profissionais de saúde da rede pública, sem distinção de categoria. Esse sempre foi o nosso objetivo, atingir todas as categorias da Secretaria que tanto se dedicaram durante a pandemia. Com o baixo quantitativo de vacinas recebidas na primeira remessa, tivemos que restringir o público. Agora os profissionais podem ficar tranquilos, pois serão contemplados em sua totalidade”, disse o secretário adjunto de Saúde, Petrus Sanches.

Aplicação das doses

As vacinas Coronavac e Oxford/AstraZeneca possuem aplicações distintas, isso porque o imunizante produzido pelo Instituto Butantan tem intervalo entre duas a quatro semanas, a de Oxford possui melhor eficácia quando a segunda dose é realizada após 12 semanas da primeira. Por esse motivo é importante que fique registrado no cartão de vacina qual é o fabricante e a data de retorno para a segunda dose.

“No início da próxima semana, o Comitê se reunirá novamente para deliberar sobre a possibilidade de recebimento de novas doses e, com isso, planejarmos positivamente uma nova ampliação. Pedimos mais uma vez que a população do Distrito Federal fique tranquila, pois a Secretaria de Saúde tem trabalhado incessantemente para que todos os grupos sejam imunizados, levando sempre em consideração o quantitativo de doses recebidas do Ministério da Saúde”, destaca Petrus Sanches.

Desde o início da vacinação no Distrito Federal, em 19 de janeiro, foram aplicadas 18.522 doses.

Print Friendly, PDF & Email